A professora de língua inglesa Erica Mafra Toledo do Instituto Federal do Amazonas (Ifam) denunciou nas redes sociais ter sido […]

Professora denuncia ter sido vítima de assédio sexual por colega de trabalho em prédio do IFAM

A professora de língua inglesa Erica Mafra Toledo do Instituto Federal do Amazonas (Ifam) denunciou nas redes sociais ter sido vítima de assédio sexual nas dependências do prédio localizado no Centro de Manaus. Na publicação, ela conta que dois anos após o ocorrido, nenhuma medida foi tomada pela Instituição, o que a fez se posicionar publicamente.

“No dia 25 de setembro de 2020, eu fui assediada por um colega de trabalho na sala dos professores. Esse colega falou no meu ouvido: quanto eu queria para fazer sexo degradante com ele?. Não havia testemunhas, ele falou no meu ouvido, mas eu tenho provas. O assédio sexual foi denunciado a todos os meus superiores, inclusive ao diretor desse Campus. Já se passaram dois anos que eu tento entrar com um processo administrativo e nada. Ninguém me ajuda”, relata ela, em vídeo, que já conta com mais de 12 mil visualizações na página do Centro Acadêmico de Física do Ifam.
Em entrevista ao A Crítica, a professora revela que a prática é comum dentro da instituição tecnológica. “O assédio sexual no Ifam é histórico. A maioria dos professores são homens, de área tecnológica, industrial, e onde se concentra o homem, se concentra a misogenia”, disse Erica Mafra.
“São baixarias como apalpar o seio de alunas que acontecem dentro do Ifam. E quando as alunas reclamam, colocam elas de cara com o assediador delas. Os professores, que são os mediadores do conflito, invertem a situação e ‘retraumatizam’ a vítima, às vezes expõem as meninas na turma”, apontou ela. 

Depois do ocorrido, em setembro de 2020, a professora conta que imediatamente denunciou aos seus superiores e destacou que até hoje nenhuma medida foi tomada pela Instituição contra o suposto assediador.

“O que aconteceu comigo foi imediatamente comunicado a todos os órgãos superiores: a diretoria de ensino, departamento acadêmico, o gabinete do diretor geral que é a ponta da pirâmide. Dois anos se passaram e nada”.

Resposta – Ifam

A Reitoria do Instituto Federal do Amazonas (IFAM) e o Campus Manaus Centro (IFAM-CMC) informam que tomaram conhecimento, no dia 11 de novembro de 2022, de um vídeo veiculado nas redes sociais, denunciando assédio e que imediatamente adotou todas as medidas cabíveis para a apuração dos fatos.

O IFAM de forma sistêmica apura todas as denúncias recebidas com clareza, transparência e seguindo todos os procedimentos estabelecidos pela Controladoria Geral da União (CGU), assegurando assim o cumprimento da lei.

Para tanto, a fim de prestar todo apoio necessário à servidora, o IFAM disponibilizou uma equipe multidisciplinar, uma vez que a gestão desta instituição não compactua com atitudes desta natureza. Vale ressaltar que o IFAM, por meio de suas equipes multidisciplinares, promove permanentemente campanhas de combate ao assédio e discriminação em todas as suas formas.

Com informações: A Crítica

Deixe um comentário