Bastante utilizado em todo mundo, o Omeprazol que combate a gastrite, úlceras e o refluxo de ácido está associado a […]

Segundo estudo, uso de Omeprazol dobra risco de câncer no estômago

Bastante utilizado em todo mundo, o Omeprazol que combate a gastrite, úlceras e o refluxo de ácido está associado a uma doença ainda mais grave. De acordo com uma pesquisa da Universidade de Hong Kong e da University College London, as drogas do grupo de inibidores de bomba de próton (IBP), como o Omeprazol, Pantoprazol e lansoprazol, podem aumentar em até 2,4 vezes o risco de desenvolver câncer no estômago.

A descoberta já tinha sido identificado pelos acadêmicos, mas nunca em um estudo em que se eliminou uma bactéria então suspeita pelo desenvolvimento da doença. Após a retirada da bactéria Helicobacter Pylori , o risco de contrair câncer estomacal subiu na mesmo dosagem e tempo de duração do tratamento com medicação anti-refluxo.

Ao todo, cerca 63 mil adultos foram recrutados para a pesquisa. Os pesquisadores compararam o uso do IBP ao uso de outro medicamento, conhecido como H2,  que também limita a produção ácido no estômago.

Durante o período de 2003 a 2013,  um número de 3.271 pessoas receberam o IBP por quase três anos, enquanto 21.729 tomaram bloqueadores de H2.  Um total de 153 pessoas desenvolveram câncer estomacal.

Enquanto o uso do H2 não aumentaram o risco de câncer, os IBPs dobraram as chances de se contrair a doença. Para os que utilizaram o medicamento diariamente, o risco aumentou em até 4,55 vezes mais do que naqueles que usaram diariamente.

 

*Com informações do Portal: UOL

Deixe um comentário