A ordem para o assassinato do advogado e servidor do Tribunal de Contas do Estado (TCE-AM), Erwin Rommel Rodrigues, executado a […]

Conforme o segundo suspeito preso no caso, João Gabriel, conhecido como "GB", o assassinato de Erwin Rommel Rodrigues teria relação com uma suposta dívida contraída de honorários advocatícios. (Foto: O veículo utilizado no crime também foi apreendido (Foto: Divulgação/Polícia Civil-AM)

Ordem para matar advogado servidor do TCE-AM partiu da Bahia, afirma suspeito preso

A ordem para o assassinato do advogado e servidor do Tribunal de Contas do Estado (TCE-AM), Erwin Rommel Rodrigues, executado a tiros no dia 11 de novembro deste ano, veio da Bahia. A morte teria relação com uma suposta dívida contraída de honorários advocatícios naquele Estado.

As informações são do criminoso João Gabriel da Silva Almeida o “GB”, preso na tarde desta segunda-feira (4). Ele confessou ter participado no crime como motorista. “Foi eu que estava pilotando o carro que levou o Kauan (Hewerton Kauan Oliveira Cavalcante), naquele dia”, contou GB.

O criminoso relatou que ele e os demais envolvidos no crime tinham recebido ordens para sequestrar o advogado e levá-lo ao encontro de narcotraficantes no bairro Compensa.

Segundo GB, o advogado foi morto na saída do restaurante porque Kauan, contratado como pistoleiro, se assustou durante a ação criminosa. Kauan foi preso na manhã de hoje.

Prisão aconteceu após cruzamento de operações policias

Além de João Gabriel, Luciano Batista de Souza o “Barba” e Eduardo Gonçalves dos Santos foram presos na tarde desta segunda-feira (4), no bairro Monte das Oliveiras, Zona Norte, durante operação policial comandada pelo delegado titular do 1º Distrito Integrado de Polícia (DIP), Cícero Túlio, pelos crimes de roubos, furto, homicídio e tráfico de drogas.Todos os três integram a facção criminosa Comando Vermelho (CV).

Durante a ação os policiais deram cumprimento a mandados de prisão e busca e apreensão em desfavor da organização criminosa que atuava em todas as zonas da cidade de Manaus.

De acordo com Cícero Túlio, a investigação iniciou-se na madrugada do dia 29 de outubro, após um furto numa clínica situada na avenida Joaquim Nabuco, quando um homem mascarado e comparsas invadiram o estabelecimento e furtaram quase todos os objetos eletroeletrônicos (computadores, celulares, notebooks, óculos de grau, televisores) do local. O prejuízo foi avaliado em aproximadamente R$ 300 mil.

Conforme o delegado, o setor de inteligência conseguiu identificar o veículo usado no crime de Rommel e começou a monitorar todos os suspeitos. Durante a investigação sigilosa, foi constatado que o veículo objeto das buscas também teria sido utilizado no crime do advogado.

As investigações cruzaram com as da Delegacia Especializada em Homicídios e Sequestros (DEHS).

Durante as buscas foram encontrados em poder dos criminosos diversos eletrônicos decorrentes da prática de crimes, além de ter sido encontrado em poder de GB uma arma de fogo calibre .32 e drogas.

O trio foi autuado em flagrante por tráfico de droga, associação para o tráfico, associação criminosa e posse de arma de fogo de uso permitido. GB vai responder também pela morte do advogado Rommel.

*Com informações: A Crítica

Deixe um comentário