O prefeito de Manaus, David Almeida (Avante), tomou medidas legais contra o deputado federal Amom Mandel (Cidadania) em resposta às […]

David Almeida move ação judicial contra Amom por calúnia, requer indenização de R$ 52 Mil

O prefeito de Manaus, David Almeida (Avante), tomou medidas legais contra o deputado federal Amom Mandel (Cidadania) em resposta às acusações feitas durante o lançamento da pré-candidatura deste último, ocorrido em fevereiro. Os advogados do prefeito alegam que Mandel difamou e atacou a honra e imagem de Almeida com a disseminação de informações falsas e graves.

Durante o evento de pré-candidatura, Amom Mandel fez declarações insinuando a ligação de um grupo político, supostamente liderado por Almeida, com facções criminosas investigadas pela Polícia Federal por corrupção, mencionando casos como viagens em jatinhos pagos por empresários, envolvimento de secretários em esquemas ilícitos, e alegados casos de superfaturamento de cestas básicas na cidade de Manaus.

Embora Mandel não tenha mencionado diretamente David Almeida, os advogados argumentam que as declarações feitas pelo deputado foram claramente direcionadas ao prefeito.

Os advogados de Almeida reforçam que as acusações de Mandel são infundadas, destacando que a viagem de David Almeida durante o feriado de Carnaval não foi custeada por um empresário com contrato ativo com a Prefeitura de Manaus, como foi erroneamente afirmado. Esclarecem que a aeronave foi fretada por Roberto de Souza Lopes, cujo contrato é com a Manaus Previdência, uma entidade autônoma que gerencia a previdência dos servidores municipais, não estando vinculada ao Executivo Municipal.

Quanto à acusação de superfaturamento de cestas básicas, a defesa de Almeida ressalta a ausência de qualquer prova que sugira envolvimento do prefeito em tais práticas.

Os advogados consideram as acusações de Mandel como manobras eleitoreiras, visando descredibilizar o atual prefeito em um contexto político. Além disso, destacam que um suposto relatório divulgado em grupos de WhatsApp, citado por Mandel para embasar suas acusações, carece de consistência e lógica, apresentando informações desconexas e fora de contexto.

O processo movido contra Amom Mandel inclui acusações de calúnia, difamação e injúria, sendo requerida uma indenização de R$ 52.080,00, uma retratação pública por parte do deputado e uma ordem judicial para que ele se abstenha de mencionar o nome do prefeito de Manaus.

A reportagem buscou contato com o deputado federal Amom Mandel para obter um posicionamento, porém não obteve resposta até o momento do fechamento desta matéria.

Deixe um comentário