Por: Sony Corsi As crescentes tensões entre Venezuela e Guiana têm ganhado destaque nos noticiários, revelando um conflito enraizado desde […]

Cresce a tensão entre Venezuela e Guiana; Brasil se movimenta para evitar o conflito entre os países

Por: Sony Corsi

As crescentes tensões entre Venezuela e Guiana têm ganhado destaque nos noticiários, revelando um conflito enraizado desde o século XIX. A disputa territorial, concentrada na região rica em petróleo de Essequibo, teve seu veredicto em 1899, mas persiste, desafiando resoluções internacionais.

Antecedentes Históricos: A fronteira guianense, outrora delimitada pelo rio Essequibo, avançou para oeste durante o período colonial inglês, desencadeando reclamações da Venezuela. O Tribunal Internacional, em 1899, favoreceu a Guiana, desencadeando controvérsias que persistem até hoje.

O Referendo Venezuelano: A escalada recente levou o presidente Nicolás Maduro a convocar um referendo para criar uma nova província em Essequibo, com promessa de conceder nacionalidade a mais de 125 mil habitantes locais, intensificando as tensões.

Decisão da Corte Internacional de Justiça: Em meio à tensão, a Corte Internacional de Justiça decidiu que a Venezuela não pode anexar 70% do território da Guiana. Embora não defina definitivamente a soberania, impacta o referendo venezuelano, mesmo com Caracas anunciando que não reconhecerá a decisão da corte.

Intervenção Brasileira: O Brasil, preocupado com o aumento das tensões, enviou o assessor-chefe da Presidência, Celso Amorim, a Caracas em busca de uma solução pacífica. O presidente Lula busca evitar a escalada do conflito, especialmente diante da preocupação de que uma possível invasão venezuelana possa ocorrer em caso de sucesso no referendo.

Reforço Militar em Pacaraima: Em resposta ao cenário volátil, o ministro da Defesa, José Múcio, anunciou o deslocamento de 60 militares adicionais para reforçar a segurança em Pacaraima, cidade próxima à tríplice fronteira. O objetivo é evitar o trânsito de militares venezuelanos em território brasileiro, mantendo a região como a rota mais segura de acesso à área disputada.

Enquanto o Brasil se empenha em soluções diplomáticas, o desfecho das tensões entre Venezuela e Guiana permanece incerto, destacando a complexidade geopolítica da região.

Deixe um comentário