A advogada de defesa da mulher que denunciou o jogador de futebol Daniel Alves por estupro em uma boate em […]

Caso Daniel Alves: advogada da vítima afirma que ele não usou preservativo no momento do estupro

A advogada de defesa da mulher que denunciou o jogador de futebol Daniel Alves por estupro em uma boate em Barcelona, na Espanha, contou mais detalhes sobre o processo. As informações são do UOL.

Segundo a advogada, a jovem de 23 anos relatou que precisou tomar remédios antivirais para prevenir Infecções Sexualmente Transmissíveis (ISTs), pois o jogador não usou preservativo quando cometeu o crime.

Além disso, a vítima está realizando tratamento com medicamentos psiquiátricos devido às complicações psicológicas por conta do estupro.

“Ela está recebendo apoio psicológico por meio de uma entidade pública especializada em tratar vítimas de violência. O hospital prescreveu todo um tratamento dirigido a evitar qualquer tipo de doença infecto-contagiosa, porque não foi utilizado nenhum preservativo.

Ela também tem um tratamento farmacológico com ansiolíticos para poder dormir, mas me disse que não consegue desde o depoimento”, afirmou a advogada.

Ainda conforme a advogada, o fato da jovem ter sido encaminhada para uma Unidade Central de Agressão Sexual (UCAS) de ambulância após sair da boate reforça o crime pois os exames puderam ser feitos nas roupas da vítima.

A advogada afirmou também que a vítima não havia ingerido bebidas alcóolicas no dia da agressão, o que também permitiu que ela desse um depoimento mais conciso.

Além disso, segundo a avaliação da advogada, a prisão sem fiança foi fundamental, tendo em vista que Daniel Alves é uma pessoa com recursos para deixar o país, além de ter dupla nacionalidade.

“Independentemente de como acabe o caso, para mim já é um caso exemplar por como começou. Há alguns personagens públicos que se acham acima do bem e do mal, que acham que ninguém nunca acreditaria em uma garota como minha cliente. Há muitas mulheres que não denunciam quando se trata de um personagem público por causa da dificuldade em nível emocional e judicial. Mas acho que neste caso, acabe como acabe — espero que acabe com uma condenação —, a prisão sem fiança já é exemplar”, concluiu a advogada.

 Defesa nega

 A defesa de Daniel Alves tem até terça-feira (31) para apresentar recurso pedindo que ele responda em liberdade à acusação por estupro na Justiça espanhola. O jogador está preso preventivamente há seis dias quando prestava depoimento à polícia de Barcelona.

A Justiça catalã aceitou ampliar o prazo para o recurso por conta de mudanças na defesa de Alves. Na última terça-feira (24), o brasileiro contratou um novo advogado, um dos especialistas em direito penal mais famosos do país e que já defendeu o argentino Lionel Messi em processo por suposta fraude fiscal na Espanha além do também próprio clube Barcelona, no qual ambos jogaram juntos.

Fonte: A Crítica

Deixe um comentário